Nos últimos 10 anos, notou-se um grande aumento no número de pessoas com um telefone celular. Pesquisas indicam que 42% dos usuários com idade entre 18 e 36 anos fazem compras por meio do seu dispositivo móvel, enquanto 28% das pessoas com 35 a 54 anos fazem o mesmo.

Novos produtos e serviços têm sido descobertos por meio do poder da mídia social, de forma que metade dos clientes que experimentam novas marcas as conhece por recomendações e dicas nas redes sociais.

Os varejistas podem, muitas vezes, enfrentar dificuldades para obter informações sobre os clientes. Esses dados são úteis para compreender o comportamento do cliente e, consequentemente, para serem utilizados na personalização da experiência que o próprio cliente terá no local. Essa falta de dados também afeta a forma como o varejista fará a ligação entre as lojas física e on-line.

Como usar o hotspot a favor do seu negócio?

Apesar de muitos oferecerem pontos Wi-Fi para seus clientes, poucos deles estão evoluindo por meio dessa estratégia. Combinar clientes que utilizam o Wi-Fi às plataformas e ferramentas certas dá ao varejista chances singulares para disponibilizar uma experiência de varejo ideal para os consumidores com rapidez e facilidade. 

É possível fornecer uma experiência de acesso Wi-Fi enriquecida através da utilização de aplicações web combinadas a uma plataforma em nuvem, envolvendo-se com os usuários em tempo real e aumentando, assim, a retenção e a fidelização dos clientes. Com o uso das ferramentas ideais para análise dos dados, os varejistas podem fazer projeções totalmente customizáveis e enviar mensagens de publicidade e marketing.

Como isso funciona?

Os dados sobre os usuários que estão ao alcance da rede podem ser coletados nos pontos Wi-Fi. Isso é possível porque todos aparelhos conectados à rede possuem uma identidade digital única, a qual é transmitida frequentemente. Os pontos de acesso só precisam reunir essas informações e enviá-las para a plataforma em nuvem responsável.

A partir dessa plataforma em nuvem, os varejistas podem ajustar a experiência dos clientes a partir de um navegador de internet. É possível criar páginas para os compradores, escolher características específicas para o preenchimento dessas páginas, coletar dados a respeito do comportamento dos clientes e fazer análises rapidamente. Tais dados podem ser salvos na plataforma e estudados de uma forma mais detalhada através de diversas ferramentas.

Por meio das informações coletadas pelos pontos de acesso, os varejistas são informados sobre quantas vezes um cliente visita o local, quando visita e quanto tempo permanece lá. Com o passar do tempo, essas informações se tornam um quadro preciso dos costumes do consumidor, incluindo hábitos de compra e dados de movimentação do cliente dentro do estabelecimento.

Pode-se, a partir daí, tomar uma série de decisões com base na correlação dos dados comportamentais e informações de rastreamento obtidas por meio do perfil do cliente que é formado.

Assim, nota-se também a possibilidade de disponibilizar informações anônimas ou vinculadas a clientes específicos, que podem ser horários de promoção, layout da loja, estratégias de exibição, entre outras. O ponto de acesso pode, inclusive, ajudar na definição de quanto tempo o cliente ficou observando as vitrines externas da loja. Consequentemente, toda essa estrutura de interação será convertida em maior quantidade e fidelidade de clientes.

Tem mais alguma dúvida sobre o assunto? Deixe nos comentários! E que tal mais informações? Assine já a nossa newsletter e mantenha-se sempre informado!