A chegada da pandemia do novo coronavírus trouxe consequências avassaladoras ao redor de todo o mundo. Lockdown, isolamento social, novos hábitos de comportamento… Todas essas mudanças são parte do impacto da pandemia e influenciaram diretamente sobre como nos relacionamos com o mundo para além das nossas portas. 

Com o vírus, veio também a infodemia. O termo do momento, originado da junção entre pandemia + informação, diz respeito ao intenso fluxo midiático ao qual fomos expostos. Gráficos de contágio, taxa de isolamento e mapas interativos. São diversas as formas de se demonstrar por meio de dados a magnitude da pandemia.

COVID 19 e os estabelecimentos: o que o futuro nos reserva?

Entretanto, a dúvida permanece: já é possível traçar um panorama do impacto da pandemia e estimar como os próximos meses serão? E, mais do que isso, é possível avaliar quais são as novas oportunidades para os negócios brasileiros?

O objetivo desse post é tentar responder essas perguntas por meio da análise numérica dos dados do WSpot, traçando um horizonte para o futuro que está por vir e avaliando as oportunidades que se apresentam no caminho. 

Metodologia e origem dos dados

O WSpot é um software de gestão de hotspots WiFi. Ou seja: estamos presentes em inúmeros estabelecimentos em que a tradicional pergunta “qual a senha do WiFi?” pode ser feita. Se existem ao menos 15min de espera, existe também a necessidade do WSpot. 

Cafés, restaurantes, aeroportos, comércio, clínicas, viações, empresas, hospitais e hotéis. Ou seja, locais com WiFi sem senha tendem a ser espaços abertos e de aglomeração.

Metodologia e origem dos dados utilizados no artigo

Portanto, os dados que extraímos do nosso software não só oferecem uma visão de nossos clientes, mas também do mercado brasileiro, do comportamento das pessoas fora de casa e do impacto da pandemia como um todo.

O que os números nos contam sobre o impacto da pandemia?

Para cada fato, uma tendência. A partir dos dados obtidos no WSpot e de análises em demais pesquisas de mercado,  traçamos expectativas para o futuro que se aproxima.

Atenção: a ideia aqui não é fazer análises exatas ou ambicionar a previsão do futuro. Mais do que nunca, é importante observar todo o cenário com criticidade, estar aberto às mudanças e rever constantemente nossas antigas certezas.

Vamos lá!

Fato 1:

Isolamento social se confirma na queda no número de novos cadastros

O gráfico a seguir foi obtido ao monitorar o número de novos cadastros realizados nos pontos de acesso WiFi com WSpot de todos os nossos clientes durante o ano de 2019.

Volume de novos cadastros no WSpot em 2019

Como pode-se observar, a curva possui perfil constante durante todo o ano. As oscilações majoritariamente presentes nos meses de julho e janeiro são justificadas pelas férias escolares, período este em que é comum que estejamos mais fora de casa e, portanto, acessando redes WiFi públicas.

Agora, vamos à curva do primeiro semestre de 2020:

Comparação do volume de novos cadastros no WSpot entre 2019 e 2020

Foi no dia 16 de março, uma segunda-feira, que a queda acentuada no número de novos cadastros inicia-se. Esse dado é representativo das medidas de isolamento rapidamente adotadas ao redor do Brasil, que levaram as pessoas a ficarem muito mais reclusas. Não coincidentemente, no dia seguinte, 17 de março, registrou-se a primeira morte por COVID-19 no Brasil.

Se compararmos o número absoluto de novos cadastros no primeiro semestre de 2019 e 2020, há uma redução de 38,5%. 

Após a queda vertiginosa em Abril e Maio, a partir do início de junho observamos uma tendência constante no número de autenticações. Isso se deve à retomada das pessoas aos estabelecimentos físicos. Entretanto, comparativamente a 2019, o número ainda é bastante baixo.

Tendência 1:

A flexibilização do isolamento social confirma o interesse das pessoas em retornarem ao ambiente físico

Uma grande queda e um retorno gradual. Apesar dos riscos ainda presentes, é notável que as pessoas permanecem com um grande interesse em saírem de suas casas.

As pessoas querem retornar ao ambiente físico pós pandemia

Alguns questionamentos são levantados: o quanto a pandemia pode ter alterado a forma com que as pessoas interagem entre si e com o meio exterior? Será que em algum momento próximo teremos uma curva de autenticações crescendo e chegando a seguir o modelo obtido em 2019? O que essas alterações significam no contexto dos estabelecimentos brasileiros?

Existem poucas conclusões certeiras. Entretanto, as notícias a seguir podem trazer um breve vislumbre do presente que anuncia um pouco do futuro:

Fato 2:

Bares, restaurantes e comércio foram os segmentos mais afetados

O gráfico abaixo mostra o número de cadastros no segmento de bares, restaurantes, lanchonetes e cafés:

Novos cadastros no segmento bares e restaurantes em 2019 e 2020

Observe novamente a constância da curva durante o ano de 2019. E, em Março de 2020, uma grande queda – a mais vertiginosa dentre os segmentos que atendemos. Posteriormente, o retorno gradual também se inicia a partir de Maio, mas muito timidamente.

Estabelecimentos de alimentação são, por essência, locais em que há um grande volume de pessoas juntas. Assim, um impacto da pandemia é o limite de lotação nesses locais, que deve permanecer por um bom tempo! A pergunta, então, é: como maximizar seus resultados em um cenário em que a diminuição no volume de frequentadores é inevitável?

Tendência 2:

Os consumidores irão demandar cada vez mais uma experiência positiva e memorável

Apesar do mundo lentamente estar voltando ao “normal”, algumas coisas não tem data para mudar. Uma delas é o valor ainda maior dado à experiência. É preciso oferecer segurança, comodidade e um atendimento impecável para que seu cliente opte por permanecer frequentando o seu estabelecimento.

Se questione: quais são as diferenças que o ambiente físico oferecerá? Atendimento, curadoria, experiência? O que vai fazer as pessoas saírem de casa (quando possível e seguro) para frequentarem o seu estabelecimento?

No mais, vale pensar em estratégias para aumentar o ticket médio das suas vendas. Se antes o seu cliente frequentava o seu café para comer um pedaço do tão amado bolo de chocolate, porque não ofertar para ele a opção de take-away desse mesmo bolo para que ele se delicie também em casa e com a família? Seja criativo. Afinal, o momento requer isso como nunca antes.

Fato 3:

Saúde, tecnologia e instituição financeira: os segmentos menos afetados 

O gráfico abaixo mostra o número de autenticações no segmento de instituições financeiras:

Novos cadastros no segmento bares e restaurantes em comparação com instituição financeira em 2019 e 2020

Parte dos serviços essenciais, as instituições financeiras foram locais que permaneceram recebendo pessoas apesar da pandemia. Isso se confirma, portanto, pela curva em verde no gráfico: a diminuição de autenticações foi considerável, mas menos acentuada em comparação à curva de bares e restaurantes (em vermelho). 

Tendência 3:

Nunca a flexibilidade foi tão importante na gestão do seu negócio

Filas demarcadas, número limite de pessoas dentro de cada agência e obrigatoriedade de novas medidas de cuidado e higiene. A pandemia trouxe para essas instituições novas demandas e, principalmente, mais uma vez uma grande relevância para o quesito experiência.

Ser bem tratado e bem atendido em uma situação tão extrema assim pode ser a diferença entre seu cliente continuar fiel à sua marca ou optar pela concorrência.

Filas espaçadas, uso de máscaras e mais cuidados de higiene.

Além disso, é ainda mais importante ensinar aos clientes a utilização das funcionalidades via internet banking e aplicativo. Ou seja: oferecer WiFi como comodidade e ferramenta que pode facilitar o trabalho de todos é indispensável.

→ Ler mais: Experiência do cliente: Importância e como gerar resultados com um hotspot

Fato 4:

Aumento no número de autenticações dos administradores do do WSpot

O gráfico a seguir diz respeito à quantidade de logins por administradores do WSpot realizados no painel.

Essa movimentação indica portanto que, como nunca antes, os empresários sentiram ainda mais a necessidade de se reinventar nas estratégias para se comunicar com os seus clientes.

Um ponto importante diz respeito à exportação de relatórios. Os relatórios no WSpot contém os dados dos usuários que são solicitados no momento da autenticação na rede WiFi (com campos customizáveis, contendo geralmente nome, e-mail e telefone). Essas dados, portanto, não passam de leads!

Os leads, que são essa listagem com as informações das pessoas que já frequentaram seu estabelecimento, podem ser utilizados em:

  • Disparos de e-mail marketing para mailing segmentado;
  • Criação de campanhas em redes sociais (lookalike);
  • Ou mesmo no contato via WhatsApp ou SMS para um relacionamento mais próximo com clientes.

Tendência 4:

E-commerce e delivery são tendências que vieram para ficar. E o marketing digital se consolida como indispensável

Vamos ao exemplo do mercado de alimentação, que definitivamente foi um dos mais afetados pela pandemia. Tem sido, acima de tudo, um momento de reinvenção: delivery, retirada no local, a preocupação com a comunicação e relacionamento como nunca antes…

Em suma, os estabelecimentos que não se adequaram a essa nova realidade viram sua existência ser seriamente ameaçada.

O mesmo vale para comércio e varejo. A pandemia colocou luz a diversas questões que muitos empreendedores estavam “deixando para depois”. E-commerce, delivery, marketing digital, redes sociais, relacionamento… Essas são somente algumas das tendências que já se confirmaram como primordiais nos últimos anos, tendo a pandemia como derradeira aceleradora.

→ Ler mais: Dicas de comunicação e marketing para bares e restaurantes

Esse conteúdo teve como principal objetivo auxiliar empresas e negócios ao redor de todo o Brasil a repensarem sua estratégia e operação com base no impacto da pandemia. Contem com o WSpot para te auxiliar nesse momento delicado e importante para os seus negócios, sua carreira e sua vida. 

Sobre o autor:
Ana Beatriz – Analista de Marketing
Entusiasta do marketing de conteúdo e apaixonada por pessoas.
• Linkedin

WSpot: sistema de gestão de hotspots e WiFi marketing